O e-leitor escolhe

Dr. Jekyll & Mr. Hyde estiveram hoje de manhã em Montemor-o-Velho, na sua missão de serviço público ao remo, cobrindo a cores e ao minuto cada momento de um dos maiores eventos anuais da modalidade, logo a seguir ao jantar de Natal da FPR e à frente do Europeu que se realizou nesta mesma localidade.
No entanto, como os nossos dissecadores têm outros compromissos, dão a voz aos e-leitores para saber quais dos seguintes assuntos querem ver dissecados mais rapidamente:

– Rascão Marques renova contrato com FPR até 2024
– Passivo da FPR aumenta 600 mil para 1 milhão de euros
– FPR evita pedido de insolvência e negoceia dívidas com fornecedores
– Rascão Marques recebe chamada telefónica às 5 para a meia noite
– FPR já está no facebook
– João Gouveia diz que não volta a arbitrar provas de remo
– Rascão Marques compara vozes dos delegados às dos burros
– Rascão Marques não se recorda do nome de 7 Federações com que teve reunião (só se lembra da Natação porque também tem água)

13 Responses to “O e-leitor escolhe”


  1. 1 Anónimo 09/12/2010 às 17:36

    Que ele não tem vergonha já se sabia, o que não se sabia é que os restantes membros da direcção e os membros do Conselho Fiscal (o presidente até é deputado) também não se coibem de não cumprir a lei.
    Como é que ainda há clubes que remam que votam nele? O que é que o remo evoluiu nos últimos 5 anos para justificar o apoio a esta direcção por parte dos que percebem de remo?
    Já repararam que o delegado do Caminhense votou a favor da moção de confiança quando a direcção recém-eleita até está em litígio com a FPR? Que falta de vergonha, Sr. António Amorim!
    E que dizer do fato de terem votado 2 delegados do Centro Social de Alfarelos, o efectivo e o suplente, quando a lista de delegados que está no site da FPR só tem um efectivo (e um suplente) para esse clube? http://www.remoportugal.pt/LinkClick.aspx?fileticket=IZAeRzpbtKQ%3d&tabid=60
    Um milhão de euros de passivo e ainda há quem ache o baixote o homem certo para aquele lugar? Só quando chegar aos 2 milhões é que abrem a pestana?
    Tudo isto é anedótico! Mas diz bem da falta de capacidade intelecual de alguns representantes dos clubes. Outros é o oposto, são muito inteligentes, não é Reis da nautiquatro?

  2. 2 Anónimo 09/12/2010 às 23:18

    Mas isto já se adivinhava há muito. Temos aquilo que quisemos ter. Muitos avisos à navegação foram feitos, algumas pessoas quiseram ajudar. Agora agarrem-se ao que têm e preparem-se para largar o que não têm, quando a hora o obrigar.
    Os clubes são sócios da federação, pelo que terão que responder por ela no momento da verdade.
    Pena?! Eu não tenho pena, aliás farto-me de rir com o que se passa e irá passar.

  3. 3 Anónimo 10/12/2010 às 10:49

    Não sei o porquê de tanto ruído são muitas as Federações que alteraram os Estatutos e não fizeram eleições. São mesmo muitas e só falam do remo. Porque será?

  4. 4 Nortenho 10/12/2010 às 13:42

    Duas opiniões que espelham a realidade que se vive na familia do remo à muito muito tempo. Senão vejamos:
    – Lembram-se por certo da Assembleia de aprovação de contas no já longiquo ano de 2008?
    – Dai para cá analisem bem o que se tem passado no remo Português (negociatas, compadrios…), etc…

    Deixemo-nos de lamentar e habituemo-nos a viver com o que temos.

    Como diz o ditado: – É isto e pouca treta.

    P.S. – A miudo a nossa excelente dupla olimpica vai dando um ar da sua graça e disfarça um pouco a crise que se vive na modalidade.

    Abraço desportivo

  5. 5 Álvaro Brancoo 10/12/2010 às 15:17

    Pensava eu naqueles que perante isto e muito mais estão pór aí, calados a ver o que acontece.

    E lembrei-me da nêspera que estava deitada, calada, à espera do
    o que acontece.

    Ora vejam:

  6. 6 Anónimo 12/12/2010 às 11:06

    Por razõesfamiliares vou acompanhando algumas coisas do remo, apesar de ainda estar ligado à canoagem. E farto-me de rir com as vossas desventuras, que a minha modalidade já passou há 15 anos. Ou seja, o remo está atrasado 15 anos relativamente à canoagem, por isso sei bem qual deve ser o vosso estado de espírito…
    Em 2010 nós tivémos 17 medalhas internacionais e vocês 1, com uma equipa que eu sei que já era vice-campeã do mundo em 2005 (o ano em que entrou este vosso presidente de que tantpo se queixam). Isso quer dizer que o presidente não teve qualquer intervenção no resultado deste ano.
    Além disso nós recebemos menos dinheiro do estado português que o remo, pelo que a nossa relação medalhas/subsídios é muito mas mesmo muito superior à do remo. Mas para isso há que trabalhar mais e falar menos. Só para vos dar um exemplo, quantos funcionários administra«tivos tem o remo? 4? 5? 6? Nós temos 1 pessoa! A isto chama-e boa gestão!
    MAs a melhor de todoas, a fazer fé no que li e conversei com o meu familiar, é que o passivo aumentou de 0 para 1 milhão de euros em 5 anos, a direcção tem o descaramento de pedir um voto de confiança aos clubes e os clubes têm a pouca inteligência de o dar! É fantádtico! A premiar a boa gestão financeira ou desportiva? É de rebolar a rir!
    Nós tivémos o costa gomes na década de 90 que fez um buraco de 25.000 contos – 125 mil euros em moeda actual – e demorámos 12 anos votar à tona de água. Por isso imaginem o tempo que vai demorar até vocês chegarem aos nossos calcanhares, porque ao nosso nível já só quando os meus filhos tiverem a minha dade e eu j´estiver com o criador…
    Uma federação é um agrupamento de clubes. Os clubes elegem e destituem os dirigentes da fedearação. Por isso vocês têm o remo que querem… Mais vale pararem com as queixinhas.

  7. 7 Anónimo 13/12/2010 às 9:50

    Ao Sr. da canoagem não se ria muito e tenha cuidado ao rebolar. Quando esse Presidente sair (muito em breve) vocês rapidamente voltam para o vosso buraco, tão ou mais fundo que o nosso.

  8. 8 Álvaro Branco 13/12/2010 às 12:35

    Pois é! Nem mais! Tem toda a razão: só temos o remo que queremos.

    Por isso, a partir de hoje, abastenho-me de fazer qualquer comentário. Ficarei a assistir!

    Todo o poço tem um fundo. E haveremos de chegar ao fundo. O fundo que os clubes quiserem que seja.

    Não vale a pena. As pessoas não vão lá pela razão, irão lá pela dor.

    Como diz a canção: “quando a cabeça não tem juízo, o corpo é que paga”.

    Entretanto, vamos sendo motivo de riso e chacota!

    A vida do mar é dura…

  9. 9 Homem do Norte 15/12/2010 às 16:03

    Oh caro anónimo. Não sei quais são as suas fontes. Até pode ser verdade. Pouco importa.

    Mas o que eu pergunto é o que é o mal dos outros nos aproveita? Ou não conhece o ditado que diz que com o mal dos outros podemos nós bem?

    Já o bem dos outros, a não ser que sejamos alguns cretinos hipócritas e invejosos, deve ser olhado com admiração e exemplo.

    Ou não acha?

  10. 10 Anónimo 16/12/2010 às 16:16

    Amigos do remo, náo levem a mal a minha intervenção anterior, apenas quis fazer um paralelismo entre as situações.
    A canoagem também tem gente boa e gente má. Já o buraco ia grande e o Costa Gomes voltou a ganhar as eleições, quando até havia uma lista alternativa com qualidade. O que se passa é que muitos dos dirigentes de clubes da altura nao tinham a visão necessária para perceberem o atoleiro em que a canoaem estava a entrar. Como vos deve estra a acontecer agora.
    Na altura o que se fez foi criar uma nova federação, até porque a FPC deixou de receber dinheiro do Estado, face aos problemas com as contas. Coexistiram as 2 até a coisa se resolver definitivamente.
    O vosso problema é relativamete simples: os garndes clubes e a vossa federaçãop não se entendem. A pergunta que eu deixo é esta: nesnte momento para que é que precisam da federação? Resultados internacionais: fracos. Projectos de financioamento para os clubes: (que eu saiba) não existem. Organização dos nacionais: se lá não for nenhum dos clubes importantes passa a ser uma prova sem valor.
    Um clube não precisa de uma federação para viver. Uma federação também não precisa de um clue para viver. Mas se muitos a abandonarem e criarem uma outra fedeeração, com mais atletas inscritos, regatas, indices de actividade, etc que a federação existente, aí as coisas mudam de figura!!!Entendam isto de uma vez e tenham a coragem que nòs tivémos. E olhem que muita gente que disse mal de nós na altura veio com o rabo entre as pernas uns anos depois!!!

    • 11 Artur Agostinho 18/12/2010 às 14:38

      Sr. Canoista…Boa Gestão? que boa gestão é essa em que o melhor atleta – Pimenta – não quer fazer parte da Equipa Nacional e quer treinar de forma individual…e recusa-se a fazer parte do vosso tão “afamado” centro de alto rendimento….por ter medo de ficar com “baixo” rendimento?

      Que boa gestão é essa que anda sempre alavancada ao remo…a pista veio por causa da Coupe la Jeunesse – Remo; o actual centro nautico é resultado do Europeu de Remo….a canoagem ainda tem um longo caminho a percorrer…quer em Portugal quer a nível interncional….

      Tenham noçao da realidade só Federação inglesa de Remo tem mais dinheiro para preparar os jogos olimpicos – 26 milhoes de euros – do que a totalidade das federações de canoagem…..

  11. 12 Homem do Norte 17/12/2010 às 10:39

    Ora aí está. Claro como água límpida.

    O tempo passa, os problemas agravam-se em espiral. Como é hábito dizer-se, ontem já era tarde.

    As contas são simples:

    O milhão de euros de passivo acumulado representa, grosso modo, 80% do orçamento anual da FPR.

    Por outro lado, sabemos que cerca de 90% das receitas da FPR vêm da Administração Pública Desportiva (IDP).

    Receitas que, sabemos, são todas consignadas. Ou seja, só podem ser gastas nos fins para que foram concedidas.

    Assim, não podem ser utilizadas para suprimento do passivo.

    Logo, este enorme passivo só pode ser suprido por outras receitas federativas que, como sabemos, nos termos orçamentais, só podem vir de duas origens: 1) Taxas diversas e 2) Outras entidades e patrocínios.

    Ora estas rubricas, em conjunto, representam os restantes 20% do orçamento anual da FPR.

    Destes 20% de outras receitas, só cerca de 20% são normalmente obtidas de patrocínios (cerca de 25.000 euros/ano).

    A 25.000 por ano, sem contar com eventuais juros de mora e eventuais custos de contencioso (custas e taxas judiciais) e de patrocínio jurídico (advogados), serão necessários 40 ANOS para limpar o passivo federativo.

    Como diz o amigo da canoagem, “o que se passa é que muitos dos dirigentes de clubes [não têm] a visão necessária para perceberem o atoleiro em que” o Remo está metido.

    Quando, a bem ou a mal o perceberem, de certeza que a coisa vai estar muito mais feia.

    Por isso não há outro caminho senão a criação de outra federação. Senão o Remo entrará na mais profunda das crises com efeitos imprevisíveis enquanto modalidade federada.

    Vão por mim!

  12. 13 Homem do Norte 20/12/2010 às 10:36

    O Sr. “Artur Agostinho”, mete os pés pelas mãos e baralha alhos com bugalhos.

    Por ele o Remo (e logo a FPR) são o “must”! A Canoagem “anda alavancada” no Remo! Espantoso! Que raio de conceito de “alavancagem” é esse? O que se inventa para tentar justificar o injustificável!

    “A canoagem ainda tem um longo caminho a percorrer…quer em Portugal quer a nível interncional…”? Pois, pois! Você é deste Mundo ou aterrou agora por cá? E o Remo então ainda nem iniciou a caminhada. E por este andar, vai enfiar-se num buraco que levará décadas a recuperar.

    Tape o Sol com a peneira que verá a ensolação que vai apanhar!

    Por isso se diz que o pior cego é aquele que não quer ver.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s





%d bloggers like this: