João Gouveia vence eleições

João Gouveia venceu hoje as eleições para a Federação Portuguesa de Remo. Com uma estratégia irrepreensível, surpreendeu (?) tudo e todos, vencendo com 2 votos a favor. O voto nulo não sabemos quem o anulou, mas se tem mão dele então o mérito ainda é maior. A política no seu melhor…
PS: Ah, já nos falhava: o RM vai continuar…

12 Responses to “João Gouveia vence eleições”


  1. 1 Jose Silva 21/02/2009 às 14:41

    Chegou a vez dos clubes, atletas, treinadores e arbitros mostrarem realmente se querem uma modalidade melhor! Quem votou contra RM deveria boicotar as provas! Há provas em Espanha, França, etc! o RM que ele os seus clubes de campismo para ganharem as provas!

  2. 2 RumoAoOlimpo 21/02/2009 às 20:40

    Afinal não existe só um judas!!!!

    À entrada para a Assembleia Figueirense ambas as candidaturas tinham os seus votos calculados e segundo algumas pessoas a tendência era clara para o lado da “descontinuidade”. Contudo na contagem dos votos a contagem revelou outra. O Presidente da AG, ainda maravilhado com o processo eleitoral que recolocou G.W.Bush na Casa Branca, deve ter feito semelhante magia (afinal é um cantor mágico) e vai daí começam a surgir votos nulos, em branco, alguém que não pode votar, etc…. e com isto R.M. voltar a ganhar.

    Parece então que dos clubes votantes, especialmente dos que tinham manifestado apoio à “devolução” existem alguns JUDAS e aproveitando o facto de não ter que dar a cara na hora de votar, deixaram escorregar a caneta para o quadrado errado.

    Importa também referir que a Associação de Árbitros perde a sua guerra e resta saber o que irá fazer a seguir: manter o princípio que os levaram a anular o CNVeteranos mantendo a exigência em cumprir com o código de regatas, ou vai baixar as calças e estará de volta nas próximas provas oficiais com a mesma atitude que tiveram nos anos anteriores.

    No próximo nacional (7 e 8 de Março) saberemos em que pé estamos.

    RumoAoOlimpo

  3. 3 21/02/2009 às 21:39

    Preparem-se, porque ainda muito se vai falar. Houve demasiadas irregularidades. A justiça terá que funcionar.

  4. 4 Jorge Nascimento 22/02/2009 às 13:47

    Como diria um politico do passado recente:
    “É só fazer as contas”.
    RM = 205 votos X JO = 177 votos
    Se as contas forem feitas, e basta ter o ensino básico para as fazer, facilmente se entende porque a qualquer custo ou meios, o PR/Mesa/FPR e o PR/FPR nunca poderiam deixar votar a APAR, (Associação Portuguesa de Árbitros de Remo, NIPC 508819156, entidade definitiva), como se poderá constactar no site http://www.portaldeempresas.pt.
    E se dúvidas ainda houvesse, expliquem-me o ataque de histerismo do PR/Mesa/FPR quando de forma digna e legal, a ARBL credenciou um membro da APAR que o dito senhor pretendia calar a qualquer custo. A tudo isto acrescentem o silêncio cumplice do PR/FPR” e é só somar 1 + 1.
    Quando, inevitavelmente, este acumular de ilegalidades básicas e ingénuas chegar a Tribunal, aposto que, o que se espalhou se vai calar e o que se calou se vai espalhar.
    Acreditem que isto é só o principio.

  5. 5 Jorge Nascimento 22/02/2009 às 16:06

    Ainda sobre o ataque de histerismo que o PR/Mesa/FPR foi acometido quando, como já referi anteriormente, a ARBL, de forma digna e LEGAL, credenciou no momento o membro da APAR que este grande “democrata” pretendia silenciar, denunciando uma premeditação do acto, tenho a acrescentar o seguinte.
    O Sr. Pedro Ramos, membro da APAR, é uma pessoa que o Remo e a ARBL conhece e respeita desde sempre.
    Admirei-me, quando se iniciou a votação, o PR/Mesa/FPR não ter sido acometido de novos ataques de histeria,denunciando manobras eleitoralistas, quando clubes foram LEGALMENTE representados por pessoas desconhecidas, que provavelmente não sabem onde fica o clube que representaram, com credenciais naturalmente passadas com muita antecedência, aqui sim um acto premeditado a frio, que o PR/Mesa/FPR incoerentemente deixou passar em claro.
    As verdades podem doer mas têm de ser ditas seja a quem fôr, apoiantes ou opositores.
    Esperamos que em próximas assembleias sejamos poupados a mais teatrialidades e incoerências deste ou de outros géneros.

  6. 6 Árbitro, o mau da fita 22/02/2009 às 16:12

    Sendo quase um comentário ao comentário, sempre gostaria de referir que, pessoalmente, só baixo as calças para quem e nas alturas que me apetece e garanto que, mesmo apesar das rolinhas ou rascanetes todas, não é o Rascão que me convence a fazê-lo. Dito isto, a posição do CNV não foi tomada pela APAR, mas pelo Júri. A APAR apoia e aplaude a coragem de fazer aplicar o CNV que o Presidente da FPR reconhece não cumprir, mas, embora grande parte do Júri fosse sócio da APAR, não foi uma decisão sua. Essa é uma mentira que a continuidade tem tentado propalar desde há uma semana e que importa desmontar. Já agora, aconselho a leitura de mais um pedaço de literatura da autoria do continuado, publicado no site da FPR. Não sabendo qual a altura e local que ele refere como oportunos para esclarecer o que se passou e passa com a admissão da APAR, só posso deduzir que se esteja a referir aos tribunais, ou a ter que responder ao padrinho, quando este, no cumprimento das suas obrigações legais, questione a FPR sobre o que se passa (sim, que eu ainda acredito que os organismos do governo tenham que respeitar e cumprir as leis da república). E, pronto, dito isto, não sei se estou de luto pelo remo remado ou se estou enojado com o que vi ontem. Talvez as duas …

  7. 7 Árbitro, o mau da fita 22/02/2009 às 16:16

    Não sei se deveria, ou não fazê-lo, mas aqui fica o repto aos clubes e aos atletas interessados (pelo menos para agitar as águas): Que tal, enquanto estes manobrismos imperarem, pelo menos, criar uma Liga de Clubes ou uma Liga de Remadores que passasse a organizar provas para os seus membros e deixarmos de alinhar nas palhaçadas da continuidade?

  8. 8 Pescador 22/02/2009 às 16:17

    Triste país onde uns espertalhaços caciques presidentes de cãmara se prestam a este triste espectáculo. Há que denunciar o papel deste autarca vira casacas.

    Sabem porque é que estes trogloditas fazem o que fazem? Porque o povinho, coitado, o permite. Afinal eles são ou não eleitos?

    João Gouveia, ou “Marco Paulo”, foi o principal obreiro de todo este folhetim. Mas grita democracia por todo lado! Será?

  9. 9 Pescador 22/02/2009 às 16:18

    Qundo isto for escarrapachado na imprensa, se verá!

  10. 10 Álvaro Branco 22/02/2009 às 19:24

    Ao ponto a que o Remo Português chegou. Pela receptividade que o nosso projecto foi granjeando ao longo dos últimos meses, alimentei alguma esperança de que, desta vez seria diferente. Que, desta vez, a seriedade, a honestidade de processos, a razão vencesse. Mas não! Mais uma vez o manobrismo, o tráfico de influências, a desonestidade, as jogadas por debaixo da mesa venceram. É confrangedor e dá vontade de fugir daqui para longe. Para longe desta gente que, na procura de protagonismo pessoal e de sucesso e reconhecimento que não lograram alcançar onde o deveriam ter alcançado, se desdobram aos golpes baixos, escudando-se em mecanismos jurídico-formais.

    Mas ainda não é desta que se “livram” de mim. Lamento! Pelo contrário. Colocarei todo o meu empenho nesta causa. A verdade será reposta e os oportunistas terão que prestar contas ao Remo. E não se trata de vencer. Trata-se de repor a verdade. Porque eu sei perder e aceito a derrota, desde que limpa. Assim NÃO!

    Eu fui um dos que, há 4 anos, apoiei o indivíduo Rascão Marques. Fi-lo na convicção de que ele traria algo de novo à modalidade. Porém, volvido pouco mais de um ano, apercebi-me que, afinal, o que ele, trazia de novo era o autoritarismo, a usurpação de competências dos órgãos sociais. Era, numa frase, o quero mando e posso. Sob o argumento de que remo português precisava de se ver reconhecido no panorama do desporto nacional e internacional, foi criando um teia de influências cujo fim último foi a consolidação de um poder de carácter pessoalizado e o de controlar um aparelho que enredou o remo em estranhos e suspeitos meandros de duvidoso valor ético. Para não dizer mais.

    Poderia ter-me demitido da função de 1º Secretário da Mesa da Assembleia-Geral. Ponderei fazê-lo e cheguei a falar nessa possibilidade ao Rascão Marques, num fugaz encontro em Montemor onde lhe manifestei a minha discordância dos seus métodos pouco ortodoxos e até pouco democráticos.

    Não o fiz por duas razões: (1) porque ele me chamou “traidor”, expressão habitual nele relativamente a todos os que discordam dele ou não o acompanham nas suas manobras. (2) Porque entendi que faria mais pelo Remo mantendo-me em funções. E em boa hora o fiz. Porque, entre outros, se não o tivesse feito, não tenho a menor dúvida que o manobrismo, ameaças e golpes por debaixo da mesa a que se assistiu neste processo eleitoral teriam sido bem piores e de consequências bem mais gravosas. Provavelmente a ANAR nem teria votado!

    É neste contexto que apelo pessoalmente a todos, remadores, treinadores, árbitros e dirigentes, homens e mulheres que simplesmente gostam desta modalidade, para que se unam neste desígnio, para que o Sr. Rascão Marques se convença de que o remo terá que ser gerido para e pelo remo e não por arrivistas em busca de protagonismo.

    Unamo-nos num movimento que demonstre a esses senhores que o Remo não os quer por cá. Que o Remo não será trampolim para carreira alguma. Porque o remo é um desporto nobre e portador de valores que eles desconhecem.

    Falemos nisto. Falemos nos clubes, nos treinos, nas regatas, nos estágios, na NET,… falemos e erguemos bem alto a nossa voz.

    TODOS PELO REMO!
    TUDO PELO REMO!

  11. 11 Jose Silva 23/02/2009 às 13:58

    Todos contra o Rascao e as suas rasquices! Boicote a TODAS as provas realizadas pela FPR! Apenas a participacao no velocidade, vencer a prova e nao receber medalha! Ou no minimo nao a receber do Rascao! Ele que leve os seus pescadores e campistas para remar em montemor, ou os velhos e os adaptados.

  12. 12 Sôr João 23/02/2009 às 21:54

    Boa noite,
    Infelizmente acompanhei toda a sequência de eventos que envolveram o processo eleitoral da Federação Portuguesa de Remo, e consegui reparar ao ler em sítios e blogues da especialidade do remo, que tudo e todos se queixam das manobras do Sr. Rascão Marques (RM), durante todo este processo.

    MAS…..

    Meus caros treinadores (não todos), árbitros (excepto o Sr. Rui Faria), atletas (considero atleta aquele que já viu um barco de remo ao vivo) e clubes de remo (considero clube de remo, uma instituição que apresente plo menos um 1x) estamos a discutir política, e quem vos disse que a política é um jogo limpo, nunca o foi, e quem anda por esses meandros assim o sabe.

    O Sr. RM apenas se dotou de manobras que lhe poderiam valer a vitória, e fê-lo muito bem. Agora pergunto se todos já sabiam que isso iria acontecer, ou que pelo menos haveria uma grande probabilidade de isso acontecer, porque ficaram impávidos e serenos e o deixaram acontecer!!!??? Apenas tinham de ir comprar as munições ao mesmo sítio que o Sr. RM foi.

    Senão vejam, o Sr. RM, foi buscar votos a clubes sombra, eu digo, porque não criaram clubes!? Criassem clubes nas vossas zonas, participassem num nacional e não haveria qualquer problema neste momento. Alguns poderão dizer que isto não seria jogar limpo, eu também acho que não o seja, mas para grandes males, grandes remédios “já dizia o meu avô”. Provavelmente, neste momento estaríamos a experienciar o tal movimento de mudança que tanto se augurava, mas que porque uns resolveram mudar de opinião à última da hora, e porque só faltou vir Canas de Senhorim votar na lista do Sr. RM, tal não aconteceu.

    Eu penso que um misto de Ingenuidade e Boa Fé levaram a lista do Sr. João Oliveira a ficar de braços cruzados quando sabiam que tudo isto poderia acontecer, tal e qual da forma como aconteceu.

    Eu digo, peçam uma auditoria às contas da nossa Sra. Dona Federação, e talvez possamos descobrir as verdadeiras razões de tão desmesurada e desequilibrada luta plo que alguns chamam sede de PODER do Sr. RM, na minha humilde opinião, não concordo que este Sr. tenha sede de poder, mas sim sede de dinheiro, dinheiro esse que virá com a organização do Campeonato da Europa de Remo e com a realização do CAR do Pocinho “mais uma anedota”, e da delegação de cargos de responsabilidade para tais estruturas e eventos.

    Bem, mas com tantos galos, não sei se o poleiro vai aguentar, pode ser que se parta entretanto.

    Só apelo para que os verdadeiros clubes boicotem as provas, os verdadeiros árbitros boicotem as provas, os verdadeiros treinadores boicotem as provas e que os verdadeiros ATLETAS (alguns já o fizeram ao abandonar a selecção) boicotem as provas.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s





%d bloggers like this: